sexta-feira, 28 de janeiro de 2011

Histórias aos centos

Existe agora um sítio para todos, crianças jovens e adultos, onde é probido não sonhar...
Temos connosco histórias aos centos...
Histórias de medo, de rir, sem pressa , depressa, de amor de desamor, de morte e de sorte...
Histórias que nos ajudam a regressar ao passado e recordar da nossa infância, cheiros, texturas, sons e cores, levando-nos enfim à criança que está dentro de nós!
Porque os Contos falam do mundo...
Porque os Contos são um direito da criança,
do jovem e do adulto!

terça-feira, 25 de janeiro de 2011

The sun will lead us Our reason to be here




Soon oh soon the light Pass within and soothe THIS endless night And wait here for you Our reason to be here Soon oh soon the time All we move to gain will reach and calm Our heart is open Our reason to be here Long ago, set into rhyme Soon oh soon the light Ours to shape for all time, ours the right The sun will lead us Our reason to be here The sun will lead us Our reason to be here

Sigur Ros - Saeglopur (the fountain mix)

Small Pleasures (Μικρές Χαρές) 2008 from MovieTeller on Vimeo.

domingo, 23 de janeiro de 2011

Diário de um cenário a acontecer...







                                          fotos de Maria Joyce
Assim vai o nosso cenário da Hora do Conto....quase quase pronto!!!!

UFFFFFFFFF

para quem como a girafa vive melhor num clima ameno estou igualinha
roxa de frio

hope - dirty three

sábado, 22 de janeiro de 2011

Regresso

Quando eu voltar,

que se alongue sobre o mar,

o meu canto ao Creador!

Porque me deu, vida e amor,

para voltar...




Voltar...

Ver de novo baloiçar

a fronde magestosa das palmeiras

que as derradeiras horas do dia,

circundam de magia...

Regressar...

Poder de novo respirar,

(oh!...minha terra!...)

aquele odor escaldante

que o humus vivificante

do teu solo encerra!

Embriagar

uma vez mais o olhar,

numa alegria selvagem,

com o tom da tua paisagem,

que o sol,

a dardejar calor,

transforma num inferno de cor...




Não mais o pregão das varinas,

nem o ar monotono, igual,

do casario plano...

Hei-de ver outra vez as casuarinas

a debruar o oceano...

Não mais o agitar fremente

de uma cidade em convulsão...

não mais esta visão,

nem o crepitar mordente

destes ruidos...

os meus sentidos

anseiam pela paz das noites tropicais

em que o ar parece mudo,

e o silêncio envolve tudo

Sede...Tenho sede dos crepusculos africanos,

todos os dias iguais, e sempre belos,

de tons quasi irreais...

Saudade...Tenho saudade

do horizonte sem barreiras...,

das calemas traiçoeiras,

das cheias alucinadas...

Saudade das batucadas

que eu nunca via

mas pressentia

em cada hora,

soando pelos longes, noites fora!...




Sim! Eu hei-de voltar,

tenho de voltar,

não há nada que mo impeça.

Com que prazer

hei-de esquecer

toda esta luta insana...

que em frente está a terra angolana,

a prometer o mundo

a quem regressa...




Ah! quando eu voltar...

Hão-de as acacias rubras,

a sangrar

numa verbena sem fim,

florir só para mim!...

E o sol esplendoroso e quente,

o sol ardente,

há-de gritar na apoteose do poente,

o meu prazer sem lei...

A minha alegria enorme de poder

enfim dizer:

Voltei!..




Alda Lara

Relendo Saramago...

Olharei a tua sombra se não quiseres que te olhe a ti,
Quero estar onde estiver a minha sombra,
se lá é que estiverem os teus olhos."


Saramago, O Evangelho Segundo Jesus Cristo

quinta-feira, 20 de janeiro de 2011

Desnudo día

Desnudo día




En el paisaje nuevo

En el paisaje nuevo en que estarás conmigo

reposará la tarde como una flor caída.



Nos habremos deseado

tanto, que el beso habrá muerto.



Yo lo veré en tus ojos, maduros de otra sombra.

Ojos de un valle ausente. Ojos con otra luna.



Entre los dos corazones

llorará tu voz

antigua.



...Una tarde peinada con una raya oscura.

Tú tendrás la mitad más dulce de la vida.



Las camelias de tu boca

morirán en otro tiempo.



...Y aquella tarde mía, ya no será la tuya.





Josefina Plá.

1936

quinta-feira, 13 de janeiro de 2011

Diário de um Cenário a acontecer...

Hoje, como em cada um dos dias que foram ficando para trás desde finais de Setembro, trago um sabor novo para casa, todos diferentes, todos surpreendentes...em nenhum momento duvidei que fossemos capazes de erguer o 13º cenário das nossas Bibliotecas, e aos poucos todas as dificuldades e contrariedades vão sendo vencidas  restando agora a luta contra o tempo.
A todos aqueles que se têm empenhado, trabalhado e lutado para que este seja mais uma vez um lugar mágico, um lugar para sonhar, conhecer e amar "O LIVRO", escritores, ilustradores e contos de todo o mundo, todo o meu carinho...