sexta-feira, 29 de janeiro de 2010

AH MIA sempre MIA...

"Sou feliz só por preguiça. A infelicidade dá uma trabalheira pior que doença: é preciso entrar e sair dela, afastar os que nos querem consolar, aceitar pêsames por uma porção da alma que nem chegou a falecer."


Mia Couto - Mar me quer

quinta-feira, 28 de janeiro de 2010

Felicidade...



M80


A Felicidade tem medida própria...a nossa!
Pequenos acontecimentos como
um dia de SOL igual ao de hoje,
almoçar a ver e ouvir o mar
sintonizar a M80 no regresso e
a perspectiva de um fim de semana radioso

bastam para me desenhar um sorriso de orelha a orelha...

ele há dias assim, dias em que pouco é tanto!

quarta-feira, 27 de janeiro de 2010

terça-feira, 26 de janeiro de 2010

segunda-feira, 25 de janeiro de 2010

Já está!


ilustracão Elodie Coudray

47......,
40 e.....................8!

sexta-feira, 22 de janeiro de 2010

Michael Hutchence faria 50 anos

THE LAKE




Baseada neste poema de Edgar A. Poe


"The Lake"

In spring of youth it was my lot
To haunt of the wide world a spot
The which I could not love the less-
So lovely was the loneliness
Of a wild lake, with black rock bound,
And the tall pines that towered around.

But when the Night had thrown her pall
Upon that spot, as upon all,
And the mystic wind went by
Murmuring in melody-
Then-ah then I would awake
To the terror of the lone lake.

Yet that terror was not fright,
But a tremulous delight-
A feeling not the jewelled mine
Could teach or bribe me to define-
Nor Love-although the Love were thine.

Death was in that poisonous wave,
And in its gulf a fitting grave
For him who thence could solace bring
To his lone imagining-
Whose solitary soul could make
An Eden of that dim lake.

Betania Zacarias





quinta-feira, 21 de janeiro de 2010

e não é?


Nicoletta Ceccolli
O mar, o vento, o Sol e a Lua carregam a magia da vida,
de nada serve viver sem nuvens,
porque sem elas não aprendemos a apreciar o céu limpo!

quarta-feira, 20 de janeiro de 2010

GUERNICA-Experiência única



Dentro da tela tudo é "tão" evidente

Psssss...

Rebecca Dautremer

As Botas das Sete Léguas de Rebecca Dautremer






Jordi Savall

Em Santiago dia 23 de Janeiro
6º Festival de Música Sacra do Baixo Alentejo

segunda-feira, 18 de janeiro de 2010

sexta-feira, 15 de janeiro de 2010

Fool´s Gold




You told me that you'd stay with me
And shelter me forever
That was a hard promise to keep
I can't blame you for the bad weather

After all that has been said and done
I won't ask you where you're going
Don't keep in touch, I don't miss you much
Except sometimes early in the morning

Now use your silver tongue once more
There's one thing that Id like to know
Did you ever believe the lies that you told
Did you earn the fool's gold that you gave me

I forgive you wanting to be free
I realize you long to wander
And I sympathize with your roving eyes
I just can't forgive your bad manners

Now use your silver tongue once more
There's one thing that Id like to know
Did you ever believe the lies that you told
Did you earn the fool's gold that you gave me

Pura magia X2

quinta-feira, 14 de janeiro de 2010

Surpresas boas

gosto de gente,
de observar quem me rodeia e imaginar que pode guardar um qualquer "dom fabuloso"...

quarta-feira, 13 de janeiro de 2010

Sherlock Holmes e Watson vão acampar.
Montam a tenda e, depois de uma boa refeição e uma garrafa de vinho, deitam-se para dormir.
Algumas horas depois, Holmes acorda e diz para o seu fiel amigo:

- Meu caro Watson, olhe para cima e diga-me o que vê.

Watson responde:
- Vejo milhares e milhares de estrelas.

Holmes, então, pergunta:
- E o que isso significa?

Watson pondera por um minuto, depois enumera:
1. Astronomicamente, significa que há milhares e milhares de galáxias, e, potencialmente, biliões de planetas.
2. Astrologicamente, observo que Saturno está em Leão e teremos um dia de sorte.
3. Temporalmente, deduzo que são aproximadamente 03 horas e 15minutos pela altura em que se encontra a Estrela Polar.
4. Teologicamente, posso ver que Deus é todo-poderoso e somos pequenos e insignificantes.
5. Meteorologicamente, suspeito que teremos um lindo dia.
Correcto?

Holmes fica um minuto em silêncio e diz:
- Fdssss... Watson, não vês que nos gamaram a tenda?!!...



Moral da história: A vida pode ser bem mais simples, se não a complicarmos



Descomplicar palavra de ordem em 2010...
bora lá migo tou contigo!





Depois da triste realidade que vive o Haiti pareceu-me despropositado manter este post, mas revisitando-o até me parece oportuno...
descomplicar é mesmo palavra de ordem...
dar importância ao que realmente merece importância,
respeitar o horror por que passam todos os haitianos,
dando graças por ainda há tão pouco tempo
termos escapado a algo parecido e se mais nada pudermos fazer,
agradecer por "hoje" serem tão pequenos todos os grandes problemas das nossas vidas.

terça-feira, 12 de janeiro de 2010

segunda-feira, 11 de janeiro de 2010

domingo, 10 de janeiro de 2010

Cocoon

Para você ganhar belíssimo Ano Novo
cor do arco-íris, ou da cor da sua paz,
Ano Novo sem comparação com todo o tempo já vivido
(mal vivido talvez ou sem sentido)
para você ganhar um ano
não apenas pintado de novo, remendado às carreiras,
mas novo nas sementinhas do vir-a-ser;
novo
até no coração das coisas menos percebidas
(a começar pelo seu interior)
novo, espontâneo, que de tão perfeito nem se nota,
mas com ele se come, se passeia,
se ama, se compreende, se trabalha,
você não precisa beber champanha ou qualquer outra birita,
não precisa expedir nem receber mensagens
(planta recebe mensagens?
passa telegramas?)

Não precisa
fazer lista de boas intenções
para arquivá-las na gaveta.
Não precisa chorar arrependido
pelas besteiras consumadas
nem parvamente acreditar
que por decreto de esperança
a partir de janeiro as coisas mudem
e seja tudo claridade, recompensa,
justiça entre os homens e as nações,
liberdade com cheiro e gosto de pão matinal,
direitos respeitados, começando
pelo direito augusto de viver.

Para ganhar um Ano Novo
que mereça este nome,
você, meu caro, tem de merecê-lo,
tem de fazê-lo novo, eu sei que não é fácil,
mas tente, experimente, consciente.
É dentro de você que o Ano Novo
cochila e espera desde sempre.

Carlos Drummond de Andrade

TRI-Campeões Regionais


vão agora disputar o Nacional



Parabéns à equipa e ao treinador...


parabéns amor!

quinta-feira, 7 de janeiro de 2010


Lhasa: Rising (video)

Lhasa | MySpace Music Videos

Caramba!

"De tanto ver triunfar as nulidades,
de tanto ver prosperar a desonra,
de tanto ver crescer a injustiça,
de tanto ver agigantarem-se os poderes
nas mãos dos maus,
o homem chega a desanimar da virtude,
a rir-se da honra,
a ter vergonha de ser honesto".

Ruy Barbosa

quarta-feira, 6 de janeiro de 2010

A Estrela

Eu caminhei na noite
Entre silêncio e frio
Só uma estrela secreta me guiava

Grandes perigos na noite me apareceram
Da minha estrela julguei que eu a julgara
Verdadeira sendo ela só reflexo
De uma cidade a néon enfeitada

A minha solidão me pareceu coroa
Sinal de perfeição em minha fronte
Mas vi quando no vento me humilhava
Que a coroa que eu levava era de um ferro
Tão pesado que toda me dobrava

Do frio das montanhas eu pensei
«Minha pureza me cerca e me rodeia»
Porém meu pensamento apodreceu
E a pureza das coisas cintilava
E eu vi que a limpidez não era eu

E a fraqueza da carne e a miragem do espírito
Em monstruosa voz se transformaram
Disse às pedras do monte que falassem
Mas elas como pedras se calaram
Sozinha me vi delirante e perdida
E uma estrela serena me espantava

E eu caminhei na noite minha sombra
De desmedidos gestos me cercava
Silêncio e medo
Nos confins desolados caminhavam
Então eu vi chegar ao meu encontro
Aqueles que uma estrela iluminava

E assim eles disseram: «Vem connosco
Se também vens seguindo aquela estrela»
Então soube que a estrela que eu seguia
Era real e não imaginada

Grandes noites redondas nos cercaram
Grandes brumas miragens nos mostraram
Grandes silêncios de ecos vagabundos
Em direcções distantes nos chamaram
E a sombra dos três homens sobre a terra
Ao lado dos meus passos caminhava
E eu espantada vi que aquela estrela
Para a cidade dos homens nos guiava

E a estrela do céu parou em cima
de uma rua sem cor e sem beleza
Onde a luz tinha a cor que tem a cinza
Longe do verde azul da natureza

Ali não vi as coisas que eu amava
Nem o brilho do sol nem o da água

Ao lado do hospital e da prisão
Entre o agiota e o templo profanado
Onde a rua é mais triste e mais sozinha
E onde tudo parece abandonado
Um lugar pela estrela foi marcado

Nesse lugar pensei: «Quanto deserto
Atravessei para encontrar aquilo
Que morava entre os homens e tão perto»

Sophia de Mello Breyner Andresen, Livro Sexto, pp.29-31

segunda-feira, 4 de janeiro de 2010

Uma amiga nova...






Adoro
brilhos e cristais,
luzes, reflexos
lugares e anjos,
o Natal, passear,
fotografia e fotografar,
e já deu para ver que por aqui há brinquedo novo...
acho que ainda nem acredito,
mas é mesmo verdade...
estamos a conhecer-nos,
aos pouquinhos...

sábado, 2 de janeiro de 2010

sexta-feira, 1 de janeiro de 2010